Álvaro Pombo
Contra-Natura
August 03, 2018 Comments.. 539
Contra Natura Javier Salazar um brilhante editor aposentado leva uma exist ncia confort vel no seu apartamento de Madrid chegado a uma idade em que se d por satisfeito por finalmente a vida lhe ter sido graciosa

  • Title: Contra-Natura
  • Author: Álvaro Pombo
  • ISBN: 9789724414461
  • Page: 139
  • Format: None
  • Javier Salazar, um brilhante editor aposentado, leva uma exist ncia confort vel no seu apartamento de Madrid, chegado a uma idade em que se d por satisfeito por finalmente a vida lhe ter sido graciosa At que, uma tarde, interrompe as suas leituras para dar um passeio pelo parque A conhece o jovem Ram n Dur n, com quem troca alguns gracejos e conversa O come o da reJavier Salazar, um brilhante editor aposentado, leva uma exist ncia confort vel no seu apartamento de Madrid, chegado a uma idade em que se d por satisfeito por finalmente a vida lhe ter sido graciosa At que, uma tarde, interrompe as suas leituras para dar um passeio pelo parque A conhece o jovem Ram n Dur n, com quem troca alguns gracejos e conversa O come o da rela o entre ambos dar in cio a uma s rie de preocupa es que, lentamente, se v o insinuando na consci ncia de Salazar uma consci ncia atormentada, reservada, amb gua Quando reaparece Juanjo, um antigo professor de Ram n Dur n, a rela o torna se um perigoso v rtice que os envolve.

    • [PDF] Download ↠ Contra-Natura | by ↠ Álvaro Pombo
      139 Álvaro Pombo
    • thumbnail Title: [PDF] Download ↠ Contra-Natura | by ↠ Álvaro Pombo
      Posted by:Álvaro Pombo
      Published :2018-08-03T23:37:30+00:00

    1 Blog on “Contra-Natura

    1. João Roque says:

      Conheci Álvaro Pombo ao ler as suas excelentes crónicas na extinta e saudosa revista espanhola “Zero”.Posteriormente li um livro seu - “ El Temblor del Heróe”, em castelhano, e que, como referi na altura não correspondeu às minhas expectativas, talvez mais por defeito meu do que do livro em si.“Contra-natura”, que acabei de ler numa edição portuguesa, com alguns erros de tradução, é uma obra prima. Claro que Pombo não deixa de lado a sua condição de filósofo e o livro t [...]

    2. Bruno says:

      Publicado em Espanha em 2005, traduzido em Portugal em 2009, lá como cá mal recebido por sectores do activismo gay, o autor acusado de homofobia, sabendo-se que é homossexual publicamente assumido desde a década de 70. "Por comparação com os anos de luta pelos direitos gay, chegámos a um tempo, admirável em muitos sentidos, em que o gay começa a banalizar-se. Há um processo banalizador que afecta as nossas juventudes e se confunde com o consumismo e o hedonismo", lê-se no epílogo.Rom [...]

    3. Fel P says:

      Emociona leer un texto como el de Pombo. El modo en que nos muestra como la represión de la homosexualidad en toda una generación de hombres (aquellos nacidos en el periodo de entre guerras), socializados en grandes y penetrantes estructuras del patriarcado (cuando no eran ni siquiera imaginadas frente a la visibilidad que alcanzan hoy), deviene en la "educación sentimental" de verdaderos sociópatas incapaces de amar y de acceder a aquello que conocemos intimidad. Un relato a ratos crudo, pe [...]

    4. Pili says:

      Cuando mi hermana me lo prestó nunca pensé que me gustaría tanto. Al principio me costó un poco tomar el ritmo de lectura, porque había varias páginas que eran más un largo monólogo que narración, de personajes filosofando sobre sus propios actos pero creo que a fin de cuentas ése era el propósito del autor: sumergir al lector en los actos de los personajes, e incluso hacerle cuestionar por qué actuaban de una u otra manera. En el epílogo el autor dice que no es una novela sobre la [...]

    5. Ronald Christ says:

      Superb book by an accomplished author who, here, unites a determinedly incorrect narrative with an evolving narration that is as much spoken as written, artfully. The attracting cover has nothing to do with the contents, yet it was the cover that led me to the book, and the book to the author—all united in my ambition to translate the novel into English. When thoughts turn to writers whose subjects are gay, Pombo must be considered at the very top.

    6. Gilbert says:

      So many things; from sexual development (or lack thereof) to philosophical leanings toward how one constructs one's life, to personality development, to love, to ageing, to ethics all set within some of the most beautiful and wonderfully constructed Spanish language prose I have come across in a long long time.

    7. Juan Vinasco says:

      Da la sensación que Álvaro Pombo escribió el libro por obligación de entregar algo. Un estilo demasiado cargado, con diálogos imposibles y personajes poco creíbles. Al final hace una reflexión sobre los personajes y la pretensión de la novela que sólo hace sentir que uno leyó algo a lo que le faltó realismo en busca de causar impacto.

    8. Xavier Albacete says:

      The description of the homo erotic scenes and the feelings between characters is well described and seems realistic. However, the language and the history seems sometimes too slow and too fulfill of descriptions which makes the history move too slowly in many points.

    9. Paulo Coutinho says:

      Muito, muito bom! Há já algum tempo que não me acontecia ler algo com tanta avidez.

    Leave a Reply

    Your email address will not be published. Required fields are marked *